Por que a faixa exclusiva de ônibus da Raposo Tavares é tão importante?

Embora a prefeitura continue implantando eventualmente novas faixas exclusivas de ônibus, os resultados positivos continuem aparecendo, e o assunto já não esteja mais nas manchetes como ocorreu em 2013, há um grupo de usuários de Ônibus chamado “Faixanaraposo” fazendo – com razão – pressão e protestos para que uma faixa seja implantada na Rodovia Raposo Tavares, na zona oeste de São Paulo.
Então, se o programa continua, e vai bem, por que esta briga pela implantação da faixa exclusiva de ônibus na Rodovia Raposo Tavares se faz tão importante?

Existem dois motivos principais para isso, primeiro, embora a prefeitura já tenha se convencido das vantagens das faixas exclusivas, no governo estadual a discussão ainda está bastante atrasada, e é o governo estadual quem legisla sobre as rodovias estaduais. Além disso, já faz alguns anos que as rodovias que servem São Paulo, e outras grandes cidades brasileiras, funcionam como “avenidas” da cidade, ligando o seu centro, aos municípios vizinhos e apresentando o mesmo comportamento de trânsito e de mobilidade que as avenidas destas cidades.

É bem conhecido o intenso transito diário que vivem os moradores das cidades vizinhas a São Paulo que vem à capital para trabalhar. Esta migração diária representa 20% das 18 milhões de viagens motorizadas que passam pelas vias paulistanas todos os dias, e elas não se limitam à grande São Paulo. Cidades mais afastadas como São Roque, São José dos Campos e Jundiaí também apresentam um funcionamento conhecido como “Cidades Dormitórios”, ou seja, há pessoas que moram nessas cidades, e que “viajam” todo dia à capital para trabalhar.

Estes 3,5 milhões de viajantes diários da região metropolitana se dividem em ônibus da EMTU, ônibus fretados, ônibus intermunicipais e carros particulares, e se somam a outros milhões não contabilizados pela pesquisa do Metrô que vem de fora da Região Metropolitana como os exemplos acima. E estes deslocamentos apresentam a mesma lógica que ocorre nas avenidas paulistanas, e em todas as outras grandes cidades do mundo: os carros utilizam mais espaço e carregam menos passageiros. Além disso, os viajantes que vem de carro à cidade de São Paulo são desestimulados a optar pelo transporte coletivo, tanto nas rodovias, pela falta de prioridade, quanto dentro da cidade, pela falta de integração entre os modais coletivos e o carro.

Por esses motivos, é fundamental que se inicie um programa para se dar prioridade ao transporte coletivo nas rodovias que ligam estas cidades à capital paulista, e nós esperamos que o caso da Raposo Tavares seja o primeiro passo desta mudança de mentalidade.

A Raposo tem se tornado exemplar deste caso devido ao grande adensamento urbano que ela sofreu em suas margens, fosse a Raposo uma avenida da cidade, ela já teria recebido uma faixa exclusiva para dar agilidade às suas mais de 25 linhas municipais e metropolitanas, além das linhas de fretados e intermunicipais. A ocupação mais afastada do centro se intensificou na região na década de 1970 com empreendimentos como a Grana Viana, e continua se intensificando com diversos lançamentos imobiliários enormes ao logo da via.

Outra Rodovia que tem as mesmas características dentro da área urbana de São Paulo, é a Via Anchieta, e esta já recebeu uma faixa exclusiva, pois possui um trecho que é de jurisdição da prefeitura, em seus primeiros 1500 metros.

Entenda melhor como funcionam as faixas de ônibus neste FAQ.

O grupo de usuários vem se mobilizando há alguns meses para conseguir uma mudança de postura da gestão estadual quando à prioridade aos meios de transportes coletivos na via, porém, esta briga demandará bastante pressão popular e política pois é uma mudança de paradigma e de mentalidade bastante difícil, vide a quantidade de críticas que as implementações em São Paulo receberam em 2013.

Por fim, nesta terça-feira, dia 14, teremos uma audiência na Assembléia Legislativa de São Paulo, para discutir a faixa de ônibus da Rodovia Raposo Tavares, e precisaremos de muito apoio, para fazer essa discussão, e começar a adaptar nossas rodovias para receber melhor modais mais eficientes tanto públicos, como os ônibus da SPTrans e EMTU, quanto privados, como fretados e ônibus intermunicipais.

E que a Raposo seja a primeira de muitas Rodovias a receber estas melhorias.

Anúncios

4 comentários em “Por que a faixa exclusiva de ônibus da Raposo Tavares é tão importante?”

  1. Existem estudos sobre alternativas? A faixa vem desde Cotia, quantos km de faixa? Nos dois sentidos? Funcionará somente em horário de pico ou dia todo? Quantos ônibus a mais deverão ser colocados? Qual o tempo médio do deslocamento de ônibus pós mudança? E qual o tempo de deslocamento pós mudança de carro? A quantidade adicional de ônibus é quanto? Escoará sem dificuldades no final da Raposo na rua Sapetuba. Como decidir sem esses estudos?

  2. Prezados, sugiro que o movimento se apoie no estatuto da metrópole, LEI Nº 13.089, DE 12 DE JANEIRO DE 2015, e acionem o Núcleo de Habitação e Urbanismo da Defensoria Pública para buscar a implementação desta lei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s