Linha criada com participação de usuários dobra o número de passageiros

Não são muitas as políticas públicas que têm um impacto tão claro e direto na vida de quem depende delas como o serviço de transporte público e de mobilidade de uma cidade. O serviço de ônibus é um exemplo disso, tanto em suas estruturas físicas como em sua operação. Somando-se a isso, a grande dependência que parte da população tem deste serviço e o apego emocional que as pessoas têm com as linhas e estações que as servem -além da enorme extensão e complexidade do serviço -fazem com que a participação popular seja fundamental no desenho e implantação do serviço de ônibus de uma cidade. Um bom exemplo deste processo ocorreu recentemente na região do Butantã, Alto de Pinheiros, Vila Madalena e Barra Funda, com a criação da linha 809U-10 – Cidade Universitária – Metrô Barra Funda“. O trajeto atual da linha surgiu a partir de sugestões de um grupo de moradores. Após algumas modificações de linhas, que deixaram a região sem algumas conexões importantes, o grupo se juntou, analisou a situação e fez propostas que foram sendo respondidas pela SPTrans até se chegar no trajeto atual, que tem se mostrado muito bem sucedido. O andamento da discussão foi divulgado no blog da região. Aqui e aqui. Veja o mapa final da Linha 809U-10 no OlhoVivo da SPTrans e aqui: 809U_Mapa O problema se iniciou em setembro de 2013, quando a linha “7725-10 – Rio Pequeno – Metrô Vila Madalena” foi unificada com a linha “7702-10 – USP – Term. Lapa“, deixando o “miolo” do Alto de Pinheiros e a Vila Jataí sem nenhuma linha que os conectasse com o Metrô Vila Madalena e do Butantã. Em outras palavras, toda a região entre a Rua Dr. Alberto Seabra e a Rua Purpurina ficou com apenas uma linha, a linha 828P-10. Com os problemas gerados pela falta de licitação e dificuldades da SPTrans em criar linhas novas surgiu a sugestão de se alterar uma das linhas da região. Com isso, após se pensar em mudanças em alguma das linhas que circulam pela Rua Heitor Penteado, chegou-se a ideia de se modificar e melhorar a própria linha 828P.

A linha 828P

A linha 828P-10 – Lapa – Metrô Barra Funda foi escolhida por diversos motivos, como demonstrado nos textos do grupo. Com esta análise do trajeto da linha e de outras linhas da região, junto com o levantamento do número de passageiros na linha, o grupo concluiu que o trecho final, que seguia para a Lapa, era o menos utilizado e poderia ser modificado sem prejuízo aos usuários – que possuem outras linhas alternativas para ir à Lapa. Assim foi proposto o trajeto similar ao da atual linha 809U, ligando o Metrô Barra Funda, ao Metrô Vila Madalena, cruzando toda a região do Alto de Pinheiros, e também a estação Cidade Universitária da CPTM, e a Cidade Universitária. Após reuniões e discussões com a SPTrans, a nova linha foi implantada em setembro de 2014 e já apresentou logo no segundo mês uma utilização mais alta que a linha anterior.

A linha 809U

Nos meses anteriores à mudança, a linha 828P vinha apresentando uma utilização média de 70 mil passageiros por mês. Já a nova linha 809U a partir do seu segundo mês de operação apresentou um salto para 87 mil usuários. Apenas quatro meses mais tarde, após o período de férias escolares, a importância e a eficácia da nova linha se demonstraram claramente, quando em fevereiro a nova linha atingiu a marca de 190 mil usuários mensais, mais que o dobro do número de usuários da linha anterior. 809U_Grafico Outro fato que evidenciou a importância desta linha foi a criação de uma variante desta linha chamada “809U-41 – Metrô Barra Funda – Metrô Vila Madalena”, criada em Fevereiro e que funciona também aos feriados e fins de semana. É muito importante apoiar e incentivar a participação popular na melhoria da mobilidade urbana e em ações como esta. Estas ações são fundamentais para articular cidadãos em prol de uma cidade com mais mobilidade, mais aberta e mais humana, além de aproximar e integrar os usuários ao sistema de transporte coletivo, incentivando a diminuição do uso do carro. Vocês conhecem alguma iniciativa como esta no seu bairro ou na sua cidade? Conte para nós.

Anúncios

5 comentários em “Linha criada com participação de usuários dobra o número de passageiros”

  1. Estou indignada com o serviço de atenção da empresa Pássaro Marron (Neste texto será chamada de “PM”) nas cidades de Pindamonhangaba e Taubaté. Por trabalhar o dia todo na cidade de Taubaté e não ter tempo para verificar os problemas do meu cartão de passagens, solicitei ao meu esposo que fora averiguar o porquê do meu cartão não haver sido recarregado na “PM”, se a empresa para a qual trabalho havia alegado que a recarga já havia sido feita no começo do mês. Os funcionários da “PM” em Pindamonhangaba se negaram a dar informação alegando que essa informação era pessoal e só a usuária do cartão podia ter acesso a mesma e que o horário de atenção era só até as 17h30 de segunda a sexta. Mas em que momento eu poderia ir à empresa se nesse horário me encontro ainda no trabalho? Bom, mas no dia de hoje 27 de julho de 2018, sai um pouco mais cedo, perdendo uma hora laboral para ir e fazer as averiguações na cidade de Taubaté. Ao chegar me atendeu uma mulher, que verificou meu cartão e me disse que o mesmo não tinha nenhuma recarga e insistiu nisso. Então, solicitei que ela averiguara quando foi a última recarga do cartão, o mesmo que ela não parecia estar muito contente com a minha solicitação, mas se dirigiu ao computador e verificou que sim havia recarga no cartão. Então solicitei que era me fornecera uma cópia do repórter de depósitos e minha movimentação do mesmo, o mesmo que ela alegou que não podia fazer isso porque não tinha como imprimir (uma mentira já que a impressora estava ao lado), então solicitei que ela tirasse uma foto da tela do computador para que eu pudesse ver, o mesmo que a mulher alegou que essa era uma informação confidencial e que não podia tirar a foto, acrescentando: “Se eu entrasse na sua casa e quisesse tirar fotos dela você deixaria?”, o mesmo que eu respondi, essa não é a sua casa, é uma empresa que presta serviços e se eu pago por um serviço, o mínimo que mereço é uma atenção de qualidade coisa que o pessoal da empresa não conhece. Sendo que ao eu estar falando, a mesma me deu as costas e me deixou falando sozinha, atuando como uma pessoa irresponsável e que não tem respeito nenhum pelo cliente ou usuário do serviço. São descontados 6% do meu Salário Bruto para passagens, ou seja, eu estou pagando por um serviço, portanto mereço ter as informações que dizem respeito a esse serviço. O transporte público por ser um serviço ofertado à população, as empresas que o fazem são consideradas pelo código de defesa do consumidor como fornecedores de serviços e os usuários do transporte público são seus consumidores. Os usuários dos serviços das empresas concessionárias de transporte público, na condição de consumidores, têm direito a uma prestação de serviços eficiente e de qualidade. Sendo assim, ao pagar uma tarifa para utilizar o transporte público, o passageiro está firmando um contrato com a companhia privada e estabelecendo uma relação de consumo, tendo seus direitos assegurados pelo CDC (Código de Defesa do Consumidor).
    A Lei de Acesso à Informação garante os canais de transparência para a população. Não é necessário apresentar justificativa para seu pedido de informação. Praticamente tudo, pela lei, deve ser disponibilizado ao cidadão. A Lei 12.527 de 2011, que estabelece a transparência, estipula o prazo para resposta de no máximo 30 dias. Todos os sites de órgãos públicos têm de disponibilizar o canal para solicitação de informações.
    Sinto-me totalmente abalada pelo maltrado moral sofrido nesta agência de Taubaté, pela falta de caso e respeito com o usuário do serviço, pela negatividade em atender algo simples que é o acesso a informação que é garantido pela lei. “Me indigna ainda mais, o fato de perceber que as empresas permitam que seus funcionários atuem com irracionalidade parecendo mais animais (cavalos, burros e jumentos) que seres humanos. Se conhecem o Código de Defesa do Consumidor”, não cumprem com as leis. É realmente indignante para uma pessoa, ter que vivenciar tamanho descaso e falta de ética profissional e nada, absolutamente nada sendo feito pelas autoridades competentes. As eleições estão às portas. É hora de colocar ordem nas cidades.

  2. aqui no Butantã tem o 809V/10 (Vila Gomes/Paulista) que surgiu após manifestações da população local contra a retirada da linha 577T/10, que ligava o bairro ao Jabaquara, passando pela Paulista. A prefeitura chegou a um acordo com a população quanto ao trajeto, mas ainda há pressão para expandir até a estação Ana Rosa do metrô. Hoje, a linha vai até o Parque Trianom e retorna ao Butantã.

  3. Aqui em Osasco, juntamos alguns representantes e estivemos, logo no início deste ano, na CMTO, Gerenciadora do Transporte na Cidade, para pleitear a extensão da Linha 001, Vila Yara – Jd. Veloso, até a Estação do Km.21 da CPTM, conhecida como Miguel Costa. Estamos progredindo. A prefeitura vai criar sentido reverso num trecho da Av.Leonil Crê Bortolosso e após a sinalização, será viabilizado o nosso pedido. Só esperamos não ter de ficar cobrando pro resto da vida…
    Conseguimos também uma linha pra Alphavile (informações no site: http://linobuseoutrasimagens.blogspot.com.br/2012/03/vereador-josias-atende-moradores-e.html) e agora pretendemos que seja modificada pra nos atender melhor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s